“A história da Nama começa com a necessidade de simplificar e aprimorar a experiência do consumidor em grandes empresas”

Ser capaz de combinar a inteligência humana e artificial para oferecer soluções personalizadas a seus clientes é uma das chaves do sucesso de NAMA, novo sócio da Câmara de Comercio Brasil-España e empresa ganhadora da II Edição dos Prêmios PME StartUp Inovação  CCBE. Hoje conversamos sobre o mundo da Inteligência Artificial (AI) com Rodrigo Scotti, CEO de NAMA

A NAMA, Startup Tecnológica Brasileira especializada em Inteligência Artificial (IA), foi premiada na II Edição dos Prêmios PME Startup Inovaçao CCBE, o que significa receber esse prêmio da Câmara de Comércio Brasil-Espanha?

O Prêmio Startup Inovação CCBE foi muito importante para Nama, pois é um reconhecimento internacional do comprometimento que nosso time tem em entregar resultados práticos com o uso de Inteligência Artificial focando na constante entrega de valor para nossos clientes.

O que colaborar com tais iniciativas significa para vocês? Que mensagem você daria a outras Startups para incentivá-las a participar da próxima edição?

Quando se é ainda uma startup é importante que consiga mostrar para o mundo não somente sua inovação mas, principalmente, o valor que está gerando para seus clientes.  Iniciativas como a premiação da da CCBE, além de poder gerar mais negócios, gera conscientização da sua marca, o que é fundamental para aumentar sua capacidade de venda e aumentar o valor do seu negócio no mercado.

O principal objetivo da NAMA é ajudar as empresas a atrair e reter clientes por meio de chatbots. Como e quando a empresa surge? Por que vocês decidiram usar a Inteligência Artificial como uma ferramenta essencial do seu negócio?

A história da Nama começa em fevereiro de 2014 com a necessidade de simplificar e aprimorar a experiência do consumidor em grandes empresas. Desenvolver uma tecnologia proprietária de Inteligência Artificial (IA) que automatiza conversas foi o diferencial que norteou a startup até hoje. A IA é uma ferramenta poderosa e pode ter diversas aplicações, mas o que nos motivou na Nama foi se especializar em aplicações práticas para IA em linguagem natural. Entender o que as pessoas falam e respondê-las automaticamente envolve o desenvolvimento de diversas capacidades e, como negócio, deter tecnologia proprietária é estratégico não apenas para crescer em escala mas também para aumentar o valor da nossa empresa dado ao nosso diferencial competitivo.

Qual é a chave para o sucesso do NAMA no mercado brasileiro? Se você olhar para o mercado espanhol, quais são as oportunidades que enxergam na Espanha para a empresa?

A Nama é pioneira em aplicações de IA conversacionai,  mas nosso reconhecimento veio por conta do valor que entregamos aos negócios. A nossa transparência e comprometimento com resultado positivo do nosso cliente é o nosso principal norte para o sucesso e isso só acontece com um constante alinhamento de expectativas e foco em objetivos claros para ambos os lados da relação. No novo jeito de fazer negócios não há espaço para promessas vazias e heroísmos que muitas vezes vemos em discursos de venda. Uma IA não se cria sozinha e muito menos resolve problemas de negócios de décadas atrás do dia para a noite. Por isso, as relações das pessoas envolvidas na construção da solução precisam ser envoltas em uma cultura orientada ao diálogo contínuo e sem o medo de errar, pois inovação de verdade vai trazer muitos desafios e novos questionamentos.

Esse processo é muito similar em diferentes perfis de empresas, seja no Brasil ou em qualquer lugar do mundo como na Espanha. A Espanha tem uma presença extremamente relevante na economia da Europa com empresas estabelecidas em diferentes países. Uma aproximação nesse sentido é estratégica, principalmente se enxergarmos essa oportunidade como uma plataforma para lançamento de soluções para IA na língua espanhola.

Inteligência Artificial (IA) é uma tecnologia muito recente, como vocês  a aproveitam para fornecer soluções eficientes para as empresas?

A IA apesar de ser uma matéria conhecida há muitas décadas, somente nos últimos anos conseguimos ver uma real aplicação prática para ajudar instituições, empresas e indivíduos no mundo todo. Dessa forma, como qualquer inovação, existe muito espaço para melhoria. Notamos que poderíamos melhorar ainda mais, não só nossos algoritmos, mas também nosso processo de implementação e isso foi instrumental para termos melhores resultados com soluções mais eficientes. Entendemos que nada é para sempre e nem o bom o suficiente e isso nos motiva para percorrer milhas extras em nosso trabalho. Todo nosso time se reinventa continuamente, o tempo aqui na Nama passa diferente e aprendemos muito a cada dia. Essa nossa cultura consegue nos trazer bons resultados a curto prazo, principalmente quando o tópico é inovação e eficiência para nossos clientes.

Consta-nos que vocês automatizaram mais de 90% de conversas, trocaram mais de 200 mensagens e acumularma mais de 350 horas de conversas, em que traduzem-se esses dados? Que benefícios trazem para os clientes da empresa?

Essas informações são referentes ao uso e eficácia da nossa solução em nossos clientes. Quanto mais clientes utilizando, mais economia e maior é o ROI positivo da nossa solução. A automatização de conversas e o uso de IA podem trazer diversos benefícios como a economia de escala no atendimento ao consumidor, por exemplo, assim como melhorar a experiência do consumidor, pois um chatbot pode estar presente 24/7 e em diversos canais, conseguindo resolver o problema do cliente com poucas interações.

Comprometidos com o desenvolvimento sustentável nos negócios, inovação e digitalização, diante desse novo cenário que estamos vivenciando, seu modelo de negócio está mudando?

Nossos valores sempre foram compatíveis com a “nova forma de fazer negócios” e isso tem tudo a ver com  “give first” para a comunidade, com o desenvolvimento sustentável e ético da IA e dos impactos dessa tecnologia no mundo. Recentemente lançamos um conjunto de livros digitais, o Hey AI,  para debater abertamente esse assunto. Nosso modelo de negócios foi pensado justamente para refletir nossos valores.

Para concluir a entrevista, e como parceiro recente da Câmara de Comércio Brasil-Espanha, o que vocês esperam da CCBE como parceiro?

A CCBE tem um potencial enorme de ajudar o négocio da Nama atravês do envolvimento do nosso time para gerar novas oportunidades comerciais dentro e fora do Brasil, no nosso movimento para atuar globalmente a partir de 2021 e principalmente do nosso envolvimento em discussões relevantes acerca do desenvolvimento sustentável e ético da IA.